Cidadão Planetário

Fragmentos de uma Alma

Essa noite renuncio!

3 de novembro de 2011

Essa noite renuncio

Ao que tanto me agarrei

Já havia um prenuncio

Fui eu quem relutei

Negar o destino, sem chance

O que deus nos coloca, aceite

A vontade suprema, deleite

O melhor de si, alcance

Não sei bem o que pensei

Sei é que ainda não chorei

Revirei, repensei, compreendi

Desfiz, revi, esqueci

Não quis enchergar nem um triz

Do que estava abaixo do meu nariz

Quanta “coincidência”, a hora, o carro, o posto

Parece que havia algo me guiando

E nesta toada sigo, navegando

Convivendo e aprendendo

Colhendo e plantando

E sempre me transformando.

Gustavo Gallo Bolzani

Fluir Com a Vida.

23 de outubro de 2011

Contato, comigo evito.

Não olho, não acho.

Sinto, talvez o cheiro.

E ouvi teu gemido desespero.

Sinto a mudança.

Eu vejo, a presença.

A gente tenta, disfarça.

Agora chega dessa farsa!

Quebrando a couraça.

Sentindo denovo, maduro.

Eu vejo um futuro, obscuro.

União estilhaça.

Chega até a ter graça,

Não fosse a desgraça.

Pra quem não aceita.

Finge não ouvir.

Esta me chamando,

Aqui dentro implorando

Por um simples olhar

Mas o medo me impede, de lhe escutar.

De assim, fitar

E constatar, cabisbaixo

O triunfo ou colapso

De mim ou destino, mas que desatino.

Quem sou eu pra dizer

O que quero ou espero

O melhor, o mais belo

Se não quem dirá?

Contemplo e reflito

Dessa vida sei pouco

Vou andando tal louco

Pra sair do sufoco.

Eu vou tentar,

Compreender e aceitar

Pra fluir com a vida

E ver o que ela me dá.

Gustavo Gallo Bolzani

Em si mesmo

10 de outubro de 2011

Certezas, pouco as tenho

Não é que eu seja pessimista

Já nessas horas não me contenho

A tal esperança, equilibrista

São muito todos os lados

Alias, nada é plano

Todos multifacetados

E se afirmar, é engano

Quando acredita já conhecer

Algo ou alguém, pra valer

Vem a porca e torce o rabo

Escoando tudo pelo ralo

Renato, ele disse uma vez

Confie em si mesmo

Não entregar, tal sentimento cortez

A outro qualquer, num momento de embriaguez

Deus, em diversas bocas fala

Só não quero é acreditar

Levando da vida, tapa na cara

Mas ele vem resgatar

E se aqui escrevo e me esponho,

Não é por protesto, nem testemunho

É tentativa de uma alma errante

De encontrar seu caminho brilhante

Quiçá

2 de outubro de 2011

Escrevo, não porque gosto, ou para ser lido.

Escrevo porque preciso, pra amenizar o vivido.

Uma só palavra não escreveria,

Se pudesse elaborar sozinho tal agonia.

Não podendo, escrevo…apago…releio…modifico.

Na tentativa talvez vã de encontrar onde, nisso tudo, eu fico.

Palavra ora como desejo, ora como suplica ou possibilidade.

Almejando poder abandonar de vez essa verdade.

Deixá-la e partir pra outra.

Pra, quiçá, levar a vida solta.

Gustavo Gallo Bolzani

Além da Casca

14 de abril de 2011

No instante de um desejo, a plena realização.

A comunhão de dois amantes, o cume da paixão.

Que bonito no papel, mas em carne e osso não.

Não foi nada daquilo, faltou foi coração.

Indiferença, pragmatismo, de uma vã hipocrisia.

Não foi nada daquilo que antecipa a poesia.

O resultado esperado, alcançado, decepcionante.

Não foi como era antes, foi é como nunca era.

Espectador diria: tudo certo! e enganos não se sente.

Leviana observação, de quem não estava presente.

Pois se assim ali estivesse, acredite, era flagrante.

Tamanho ato vazio, não desejo nem um instante.

Não vou julgar, eu não condeno, quem sou eu pra pretender!?

Sei que não era da vontade, sei que assim não há prazer.

E sei também, que outono é tempo de quedar.

Agora, vê se não se entrega, que é pro nosso amor durar!

Gustavo Gallo Bolzani

Não Confunda

7 de janeiro de 2011

O amor é real. A paixão, fantasia.
O amor cresce, se desenvolve. A paixão explode.
O amor acalma. A paixão inquieta.
O amor enxerga. A paixão é cega, daquelas que não querem ver.
E eu amo, e vejo.
Muitas vezes, não gosto da novela…
Só não me peça pra fingir que nada ocorre na tela!
Não é porque jogamos para baixo do tapete que a sujeira some.
Mais recomendável, e mais corajoso também, seria utilizar uma vassoura.
Não para voar alto na fantasia, como as bruxas, pois do alto a queda é maior.
Mas para encarar de frente a sujeira, limpá-la e destiná-la ao devido lugar.
Não sou cego, nem nunca serei.
Há um apego, confesso, eu sei…
Mas não nego e procuro lhe deixar na tão sonhada liberdade!
Porém cuidado, saiba usa-lá!
Certa vez um velho amor me disse:
Liberdade não se confunde com libertinagem!
E nesta altura do campeonato, tal ato, seria “puta falta de sacanagem”…

 

Gustavo Gallo Bolzani

Macaco Sem Galho

12 de novembro de 2010

O macaco sem galho inda paira no ar
Cre até que tem asas, que quiçá irá voar
Abaixo a floresta, com galhos expostos
Não sabe se vai, se vem o se volta
Mas já quer outro galho e daquele se solta

Variedade não falta, e sim qualidade
Sabe-se lá encontrará com que idade
O galho perfeito, resistente aconchegante
A ilusão derradeira, cegueira constante
Pra não mais olhar pra traz, pra seguir adiante

Mas enquanto observa, analisa, pondéra
O solo se aproxima, sem choro, nem vela!
Agarrase a um, a outro e denovo
Saltando de um em um, esperançoso e contente
Até o dia do encontro com o galho reluzente

Gustavo Gallo Bolzani

Valor

10 de novembro de 2010

Valor!
Mil! cem! um real ou euro!
Porém aqui não se trata de dinheiro!
Valores reais
Valores morais
Valores iguais
Valor que se paga
Valor que se tem
Valor que se da
Valor que se é
Valor que se busca
Valor que se quer
Valores como fé, dignidade, amor
Valores como honestidade e respeito
Valor que se guarda no peito
Valor fingido, que esconde um interesse
Valor que não se deixa, não se larga, não se esquece
Valor que não se compra, nem que assim quisesse
Valor que se mantém, sóbrio, bebado, ou com ópio
E o mais importante, com certeza, o amor próprio.

 

Gustavo Gallo Bolzani

Será Que Há?

26 de outubro de 2010

Não sei se é, não sei se é.
Mas por enquanto é o que esta!
Não sei se é, não sei se é.
Mas me estimula a caminhar!
Não sei se é, não sei se é.
Mas faz sorrir ao acordar!
Não sei se é, não sei se é.
Mas passo noites a pensar!
Não sei se é, não sei se é.
Mas não careço de certeza!
Não sei se é, não sei se é.
Mas me encanta tua beleza!
Não sei se é, não sei se é.
Mas tenho muito a aprender!
Não sei se é, não sei se é.
Mas é o que agora eu vou viver!
Não sei se é, não sei se é.
Mas se não for não vou sofrer!
Não sei se é, não sei se é.
Mas só vivendo para ver!
Não sei se é, não sei se é.
Pra mim é tão dificil crer!
Não sei se é, não sei se é.
Porque eu sinto algo estranho!
Não sei se é, não sei se é.
Porque cruzou o meu caminho?
Não sei se é, não sei se é.
Pensei haver algum engano!
Não sei se é, não sei se é.
É que não estava nos meus planos!
Não sei se é, não sei se é.
É que eu temo desenganos!
Não sei se é, não sei se é.
É que a ferida esta aberta!
Não sei se é, não sei se é.
Mas neste frio é uma coberta!
Não sei se é, não sei se é.
Será que há pessoa certa?

 

Gustavo Gallo Bolzani

Garantias Já Não Quero

22 de setembro de 2010

 

Novamente uma regra, um esboço de razão
Novamente uma quebra, ruptura da emoçao
Que fingir que não se sente é sentir que não se vive
E o que ontem prometi já não sei se tem valor
Talvez tenha até mudado, não sei bem que se passou
Era só uma defesa, era só uma ilusão
Pra suportar aquela mágoa, de um vazio e solidão

Hoje quero ser sincero, pra não mais me esconder
Hoje eu quero transbordar o que eu sinto por você
Sem temores de cair, quero dar a cara a tapa
Falar daquilo que a expressão já me entrega
Que o humor ao acordar já demonstra essa mudança
Como dois sois a raiar na minha vida em esperança

Não mais quero esse jogo, de fingir que não me importo
Essa falsa indiferença, isso não, eu não suporto
Essa tentação frustrada de com outra te esquecer
Nem que for por um segundo, eu não consigo, eu já não sei
Que fazer da minha vida se estou em sua mão
Garantias já não quero, quero só teu coração

 

Gustavo Gallo Bolzani

Posts mais antigos »

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://cidadaoplanetario.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.